quarta-feira, 2 de maio de 2012

Porque um dia o amor entra pela porta...




Como é tamanha a carência que sentimos. A necessidade de completudide, de ter algo ou alguém que nos carregue nas costas e resolva todos os nossos problemas amorosos, sentimentais, conjugais, etc... 
Na mitologia grega, conta-se que, haviam deuses no céu e humanos na terra. Os seres humanos eram formados por duas cabeças, oito membros e sentiam-se completos, inteiros. Nas fusões, homem/mulher, mulher/mulher, homem/homem, viviam suas vidas, felizes, sem muitas aventuras e faltavam-lhes motivos para chorar ou sofrer, sendo assim os deuses perdiam o seu valor e sentido e consequentemente seus adoradores. Então Zeus no meio de sua fúria lançou um castigo contra os humanos, todos seriam divididos ao meio  formando apenas um e estariam condenados a viver incompletos, como se sempre faltasse algo que lhes preenchesse o coração, a alma ou a vida vazia e sem graça com a falta da sua metade, e caso um dia a encontrassemos, teríamos a sensação de que: estando juntos não estaríamos mais sozinhos e a solidão que aflige a mais fria alma, iria embora pra sempre.
É engraçado, estar sozinha comigo mesma é a pior das aflições que sinto. Eu que deveria ser a minha melhor amiga sou a pessoa que mais me condena e  maltrata. Anuciamos nossa solidão o tempo inteiro, na esperança aflita de encontrarmos alguém que compre o anúncio, e, destemido entre em nossa vida e mude todo o rumo da história, alguém com poder de mudar nossos planos e projetos. Alguém que com um simples gesto me salve da minha própria companhia e me livre do rótulo de solitária, ímpar, solo, solteirona (eca). 
E daí? Eu sou o tipo de pessoa que apesar de, cometer vários suicídios da alma e querer me enforcar em praça pública de vez em quando, sou o tipo de pessoa que me acompanho muito bem. Aprendi a ter amor próprio, a duras penas não nego, mas aprendi a andar sozinha e me sentir bem.  Não quero completar, não quero alguém pra me salvar, quero alguém que me entenda, valorize e não espere grandes feitios, sou ser humano, passível de erros e acertos, sou mulher cheia de vida e esperança, sou ainda uma criança que busca incansável se adaptar ao mundo a medida que seus sonhos se perdem no caminho. 
Não me alugo pro dia dos namorados mas aceito convites pra sair, não quero um companheiro pra dividir o cobertor no frio, mas alguém que queira passar cada estação fazendo parte da minha vida, alguém que traga flores na primavera, ande de mãos dadas à  beira da praia no verão, viaje comigo no outono e no inverno aqueça minhas mãos.
Não me alugo, não recebo currículo e não peço referências, apenas deixo o tempo colocar a magia no caminho e ai...

2 comentários:

  1. Gostei, Carol!!!

    ResponderExcluir
  2. Dizem alguns que nosso maior inimigo muitas vezes está dentro de nós... Mas, quando conseguimos lidar com isso, estamos progredindo. Dizem também que somos hoje, fruto de uma divisão no passado e que passamos o tempo procurando o reencontro destas duas metades, e na teoria seguinte, nos dividiremos em outras duas adiante. -Uma metade, muitas partes, um inteiro. Matemática da vida?

    ResponderExcluir

Oi, é importante pra Ovelha Negra sua visita, registre seu passeio aqui:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...